Odontologia Hospitalar

O número de pacientes que necessita de tratamento odontológico, clínico ou cirúrgico, em ambiente hospitalar e sob anestesia geral, aumentou nos últimos anos. Os procedimentos extensos e complexos justificam o atendimento odontológico acompanhado por uma equipe multiprofissional, qualificada e com infra-estrutura hospitalar.

Odontologia Hospitalar . Enumeramos abaixo os procedimentos que geralmente realizamos em ambiente hospitalar:

  • Grandes enxertos ósseos para viabilizar a fixação de implantes dentários.
  • Tratamento das fraturas dos ossos da face.
  • Cirurgia ortognática.
  • Tratamento de grandes lesões patológicas.
  • Reconstruções após remoção de tumores.
  • Clientes com intolerância a anestésicos locais.
  • Procedimentos cirúrgicos em crianças com tenra idade.
  • Clientes portadores de necessidades especiais com extensa limitação física, mental, emocional ou médica que impeça o tratamento em ambiente de consultório.

Uma vez que o tratamento tenha sido planejado pelo cirurgião e em comum acordo com o paciente ou Responsável, a intervenção clínica ou cirúrgica odontológica sob anestesia geral será agendada para o momento mais oportuno.
Antes da internação, será necessária a realização de exames complementares (sangue, urina, radiografia, tomografia) e uma avaliação médica pré-anestésica (risco cirúrgico). A internação será na véspera ou no dia do procedimento odontológico, com a pessoa permanecendo no hospital de um a dois dias. O Cliente deverá estar em jejum absoluto (alimento e água) pelo menos oito horas antes da anestesia.
O médico anestesista é o responsável pela anestesia geral, controlando a ansiedade do Cliente antes da anestesia com medicação apropriada, monitorando os sinais vitais, gases e hidratando-o adequadamente. Durante a anestesia o Cliente estará dormindo profundamente e não terá qualquer desconforto ou lembrança do procedimento.
Outro fator importante para a segurança de todos é a escolha de um bom hospital, com todos os recursos e uma unidade de terapia intensiva disponível.
Com a elaboração de um planejamento adequado, esta Clínica consegue organizar e racionalizar as etapas do tratamento, e sugerir uma intervenção em consultório ou hospital, dependendo das necessidades particulares de cada organismo. Com isso, reduzimos os riscos e complicações trans e pós-operatórios, proporcionando segurança e bem-estar aos nossos Clientes.

Recomendações da Odontologia Hospitalar

Recomendações Pré Cirúrgicas
  1. A alimentação deve ser leve a base de sucos, frutas, torradas, sopas, etc., evitando-se alimentos gordurosos, frituras, laxantes (mamão), fermentáveis (leite, queijos, banana);
  2. Evite ingerir café ou outra bebida que contenha algum estimulante.
  3. Evite o uso de joias e maquiagem;
  4. Usar roupas confortáveis no dia e hora a intervenção;
  5. Descansar bem na noite anterior à intervenção;
  6. Evitar bebidas alcoólicas antes e após a intervenção cirúrgica;
  7. Evitar FUMAR nas 48 horas que antecedem a cirurgia e nos 10 dias que a sucedem diminui complicações anestésicas e cirúrgicas, além de contribuir para a plena cicatrização dos tecidos;
  8. Não dirigir automóvel após a intervenção cirúrgica;
  9. Planejar previamente a ausência no trabalho, de acordo com o tipo de cirurgia a ser realizada;
  10. Evitar a ingestão de remédios à base de ácido acetil salicílico por pelo menos 4 dias antes da intervenção como por exemplo: AAS, Aspirina, Melhoral, Aspirina C, Buferin, Coristina D, Doloxene A, Doril, Engov, Sonrisal, Superhist e etc.
  11. Tomar cuidadosamente os medicamentos conforme a prescrição recebida na clínica;
  12. Trazer os medicamentos prescritos no dia da intervenção, quando requisitados;
  13. Esclareça suas dúvidas antes de vir para a cirurgia. Tenha certeza de que entendeu as orientações pré e pós-operatórias, assim como a prescrição de medicamentos a ser tomados.
Recomendações Pós Cirúrgicas
  1. A alimentação no primeiro dia deverá ser: refeição líquida, gelada ou fria, não ácida e sem resíduos. Do segundo ao quarto dia, refeições pastosas, sem resíduos e não ácida;
  2. Tome bastante líquidos e se alimente adequadamente após a cirurgia. A alimentação deverá ser cautelosa na primeira semana. Evite alimentos ácidos e dê preferência aos alimentos semi-líquidos ou pastosos, passados pelo liquidificador e peneirados (exemplo: Suco de frutas, sopas bem nutritivas e mingaus, são os mais indicados);
  3. Manter repouso relativo até o quarto dia pós-intervenção, sem atividades esportivas ou esforços físicos, sem exposição ao sol ou calor;
  4.  Deitar com dois travesseiros nos primeiros dias, pois isto evita o inchaço e não dormir do lado operado;
  5. Evitar o uso de analgésicos que contenham Ácido Acetil Salicílico nesta fase de recuperação. Exemplo: AAS, Aspirina, Melhoral, Aspirina C, Buferin, Coristina D, Doloxene A, Doril, Engov, Sonrisal, Superhist e etc.;
  6. Remoção das bandagens somente 24 horas pós-intervenção ou conforme recomendação do profissional;
  7. Usar compressas geladas na face no lado operado no primeiro dia;
  8.  Seguir rigorosamente a prescrição dos medicamentos;
  9. Passado o efeito da anestesia, e sentir dor, tome o analgésico prescrito; se a dor persistir após 3 horas, comunique-se com o profissional responsável;
  10.  Qualquer medicamento prescrito deverá ser tomado rigorosamente nos dias e horários recomendados;
  11. Higiene da boca pode ser feita lavando-a cuidadosamente com água fria. Evitar fazer qualquer esforço ou bochechos durante a higiene;
  12. Eventualmente poderá ocorrer sangramentos, observados na saliva, isso nas primeiras horas após a intervenção cirúrgica, é normal, desaparecendo logo. Caso o sangramento seja excessivo ou forme coágulos abundantes, comunique-se com o profissional responsável imediatamente. Em hipótese alguma lave a boca, para evitar sangramento ou mesmo remover coágulos;
  13. Caso ocorra o rompimento da sutura (ponto), ou a ferida cirúrgica se abra, comunique-se imediatamente com o profissional responsável;
  14.  Se perceber uma crosta branco-amarelada sobre a cirurgia, não deverá ser removida; ela constitui uma defesa do organismo;
  15. Nos casos de colocação de enxertos e/ou barreiras : Se perceber a presença de pus ou cheiro forte, comunique-se imediatamente com o profissional responsável;
  16.  Edema (inchaço), é um sinal normal em qualquer processo de reparação no organismo, podendo variar de intensidade de um caso para outro. O uso correto dos medicamentos, da bolsa de gelo e da bandagem, geralmente controla a intensidade e duração do processo, mas não necessariamente impede sua ocorrência;
  17. Comparecer na clínica para controle pós-cirúrgico conforme orientação recebida;
  18.  Qualquer dúvida com relação a estas instruções, entre em contato com o profissional responsável.

O respeito às instruções acima são fundamentais para o sucesso e bom resultado do procedimento durante e após a cirurgia.